sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Relatos de uma guerra #4

O que tenho pra mostrar hoje é um pouco diferente. Não se trata efetivamente da parte da guerra, mas não sai nem por um milímetro do tema do blog. Hillé Puonto trabalha em livraria e o interessante é como um lugar com tanto conteúdo, possa atrair tantos sem qualquer. Os maiores absurdos acontecem por lá e existe cada cliente que qualquer um em sã consciência juraria que isto não existem no mundo real. Pois Hillé não declarou guerra contra ninguém, ao invés disso resolveu educar possíveis clientes e criou o manual prático de bons modos em livrarias onde são expostas situações vividas no ambiente. A leitura desse blog é deliciosa e me rendeu boas risadas, eis alguns exemplos:

-------------------------------------------------------------------------------

1001 frases de afrodite para tatuar antes de morrer:

- oi, eu queria um livro de frases.

(e eu queria paz de espírito. que vida, não?)

- como assim?

- quero fazer uma tatuagem de alguma frase e traduzir pro grego, mas eu não sei que frase, quero escolher uma.

- hã, mas... o que você gosta de ler?

- ah, eu ODEIO ler.

(minha querida, você está fazendo isso tão, mas tão errado, que OLHA)

- então por que você vai tatuar uma frase se não tem contexto? não existe nenhum autor que você goste?

(livreira já sabia a resposta, mas achou uma boa cutucar a fera com vara curta)

- ah, acordei com vontade de tatuar uma frase. gosto de mitologia grega. conhece algum livro de frases de mitologia grega?

(e a vontade de entregar um livro do percy jackson e falar que eram de frases marcantes da mitologia?)

- (?) desculpa, OIi?

- ai, moça, adoro a afrodite... me fala alguma frase importante que ela tenha dito.

(HAHAHAHAHAHA)


manual prático de bons modos em livrarias: de acordo com o livro "1001 frases de afrodite para se ler antes de morrer", a melhor frase dela para se tatuar em grego é "mas tome cuidado com o cabo da vassoura, é pior do que cenoura e você pode se dar mal".
amém
antes de relatar o causo a seguir, gostaria de pedir a colaboração dos livreiros amigos com histórias relacionadas ao livro ágape (padre Marcelo Rossi), um dos maiores sucessos editorais dos últimos tempos. tamanho o sucesso que os fregueses não conseguem medir esforços para chamar a nossa atenção na hora de comprar o seu. só para ilustrar, rapidinho aqui, há algumas semanas, uma freguesa ao descobrir que não tínhamos mais nenhum exemplar da obra, mandou todos os livreiros tomar naquele lugar. cê duvida? vai vendo que só melhora.

resumo da ópera: livreiro, precisando de privacidade para fazer uma ligação pessoal, vai até o setor de livros esotéricos, afastado dos demais. quando ele pega o telefone, uma senhora, nos seus 80 anos, aponta o livro ágape para ele:

livreiro (sorrindo e pensando"é hoje..."): pois não?

senhora (sorrindo): você é católico?

livreiro (sorrindo e desejando uma morte lenta e dolorosa): sou, sim... (pronto, lá vai ele pro inferno, o mentiroso)

senhora (obstinada): leia essa oração. é boa. é só pedir pra mãe ir na frente. "mãezinha, vai na frente, mãezinha, vai na frente" (fechando os olhos e empurrando algo imaginário com a mão). eu tenho 80 anos e sou saudável, então eu dou esse livro de presente, com o dinheiro que gastaria com remédios, médicos. eu já dei pra minha gastro, pro endocrino, pra ginecologista, pro pneumologista (saudável? oi?)

livreiro (não conseguindo demonstrar nada além de espanto): ah, sim...

senhora (séria): é verdade. e eu não sou fanática. mas eu dei 20 desses de presente e hoje vou levar mais dois. e eu não sou fanática, mas eu tenho problema de gases (aperta a barriga). um dia eu coloquei o livro na barriga e pedi pra mãezinha ir na frente (???) e pronto, resolveu.

livreiro (imaginando peidos, estouros, explosões, o apocalipse e tudo mais): é... incrível...

(silêncio constrangedor, enquanto a senhora se dirige ao caixa, mas não sem antes fazer a pergunta "você é católico?" para outro livreiro)

manual prático de bons modos em livrarias: ágape (do wikipedia, claro: em grego
"αγάπη", transliterado para o latim "agape") é uma das diversas palavras gregas para o amor. basicamente é isso, a gente ama diálogos assim. por favor, mantenham a qualidade. agradecemos desde já.

-------------------------------------------------------------------------------

Confesso que vez ou outra vou à livraria com o único objetivo de ficar sentindo o cheirinho do lugar. Então meu conselho pra quem faz isso é: Entregue-se tranquilamente aos prazeres obsessivos compulsivos aromáticos doentios em silêncio no seu cantinho, sem perturbar os livreiros. Bem, sugiro muito a leitura do manual prático de bons modos em livrarias E sigam desesperadamente no twitter, como um bom stalker: @_hille


44 comentários:

  1. estou morrendo de rir. sério. É muita perola em um blog só... um mapa mundi do Brasil. hein??? o que me agrada é que se estão indo a livraria provavelmente aos poucos essas perolas devam sumir. ou não! hauhauhauhau

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem partido do pressuposto que na livraria tem muitos livros informativos e esclarecedores, fico triste em pensar que o mais vendido e Agápe, do pe. Marcelo Rossi =\

      Excluir
  2. Divasca, só corrige o "obsessivos" do ultimo parágrafo ali, antes que algum troll te xingue muito no Twitter...

    Abraço e keep on rockin'!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corrigir por quê? Tá certo

      Excluir
    2. É que eu já consertei. Cometi um erro grosseiro. Valeu Marcos!

      Excluir
  3. Oh God! Mais um site pra compor a desintoxicação do stress diário. Ótima recomendação DiVasca.

    ResponderExcluir
  4. Adoro o blog do manual prático de bons modos em livrarias. Boa sugestão!

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não gostei. isso de ficar sussurrando bestarada dos outros para a própria mente é coisa de zé cobrinha!

      Excluir
  6. RRÁ, rá, rá.....ah...rá, rá, rá...bem en...gra...ça.....do..zzzzzzzzzzzzzzz

    ResponderExcluir
  7. Sabe o que isso me lembrou?

    Certo dia, eu vi uma garota, não conheço ela, mas ela mora aqui no bairro, estávamos dentro do ônibus e vi que ela como mais milhões de outras garotas acéfalas tatuam o simbolo do infinito no antebraço, embaixo do SIMBOLO, veja bem, SIMBOLO, que já tem uma significância que o define e termina no mesmo, não achou o suficiente e mandou tatuam em baixo o nome "infinito" isso me deu mau estar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! acho que elas tem medo de esquecer o significado, assim tatuam a palavra para terem certeza de que a qualquer momento, elas vão lembrar.

      Excluir
  8. colaborador, eu sou esquizofrênica diagnosticada. beijo, hillé.

    ResponderExcluir
  9. Eu gostaria que houvesse um blog de bons modos na livraria de duas mãos, ou seja, não só sacaneando os clientes como os atendentes geniais....Já confundiram Mussolini com sobremesa e autobiografia de Ozzy Osbourne com CD's......Se a esquizofrënica é genial, tem várias toupeiras que nos atormentam....Penso que as toupeiras são maioria mas gostaria de conhecer a humorista, quem sabe ela não me sacanearia por achar que O ANO DA MORTE DE RICARDO REIS tem a ver com Saramago e Fernando Pessoa.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha lá... Vamos respeitar a visita aqui nessa chibata! Ela é minha convidada!

      Excluir
    2. André:
      Isso que dá postar enates de ler. Ela faz exatamente isso que vc propõe:


      [tatu bola, meu amigo]


      amor compartilhado pelo freguês rafael rodrigues, também livreiro,
      e autor do livro "o escritor premiado e outros contos"


      freguês: opa, tudo bem? onde tem livro de tatu?

      (quem é que procura livros sobre tatus, santa mãe de deus? de qualquer forma, o lema da semana é: cada louco com sua mania, não discutimos com a freguesia)

      livreiro: olha, pode ser que na seção de agropecuária tenha alguma coisa.

      (freguês esboça um leve sorriso e livreiro, sem entender, pergunta o motivo. ao que cidadão responde)

      freguês: não é tatu, e sim "tattoo, de tatuagem".

      (TURUNTUNTSS, berenice, segura! tá tudo rodando por aqui)

      manual prático de bons modos em livrarias: #livreirosteam, o que anda acontecendo com a nossa equipe? ora, francamente.

      André Luis, francamente...

      Excluir
  10. andré, do it yourself. aproveita que a internet (ainda) é de todos e cria um blog assim, beibe. ficar de mimimi só vai te deixar ainda mais frustrado cá vida. beijo no coração, hillé.

    ResponderExcluir
  11. não sou frustrado não vendedora....sou realista....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahan, andre luis...senta la.

      Excluir
    2. Eu gosto é de gente que usa a palavra vendedora como se fosse ofensiva...na boa amiguinho, o site é genial, você é que não é capaz de compreender a dificuldade que existe em lidar com o grande público e ainda conseguir fazer humor desse dia a dia...e concordo com a Hillé, ficar de mimimi só vai te deixar amargurado...get a life, ou melhor, get your very own blog... beijo no coração (2)..

      Excluir
    3. Temo pelas pessoas que querem beijar meu coração...Lembro-me da unidade 731 e de Shiro Ishii...É tão non sense quanto mandar um abraço na boca....enfim....

      Excluir
    4. Beijo no fígado de todos vocês!

      Excluir
    5. E a ti, Simáo, um piparote nos gorgomilos....

      Excluir
  12. Eu sempre achei que trabalhar em livraria fosse um daqueles empregos dos sonhos até começar a ver os relatos de pessoas que trabalham em livrarias.

    ResponderExcluir
  13. Excelente, entrou pra minha lista de leitura. :)

    ResponderExcluir
  14. Sou fã da série "Paulo José". Espero que consigas fazer algo novo com aquele sarcasmo, típico de quem está muito puto. Mas, como saiu daquele emprego/"redução análoga à condição de escravo", acredito que não deve ocorrer tão breve.
    Ótima dica de site do "manual".

    ResponderExcluir
  15. Trabalhei na livraria de uma loja Fnac por dois anos. Era de querer socar o cliente quando ele chegava no balcão e dizia: "Eu quero um livro em que a capa é meio rosa... mas não lembro o título." Um cadastro de mais de 800 mil livros e ela quer que o atendente lembre de um assim???

    De doer!

    ResponderExcluir
  16. AMEI o blog!!! Acho que vou na livraria essa semana só pra sacanear um dos atendentes (brinks)

    ResponderExcluir
  17. Eu gostei. Só que ela não sofre igual o Di Vasca. Apesar de aguentar clientes sem noção, não precisa fazer e refazer nada, hehe.

    Tá na lista de leitura =)

    ResponderExcluir
  18. Claro que tem muito cliente mal educado e folgado, mas tem muita gente que é apenas ignorante e busca conhecimento, não é legal ficar tirando com a cara de gente assim.
    por exemplo o caso do livro de capa rosa, o cliente pode não saber mesmo e querer buscar ajuda para encontrar um livro em fragmentos de lembrança, vai achar? não sei pode ser que sim e que não, mas taxá-lo de babaca por isso é demais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você. Por que não ajudar aquele ou aquela que traz as tetas turgidas em que os livreiros vão mamar? Em vez disso, preferem chutar as tetas....
      O Di Vasca sacaneia aqueles que não vão lhe pagar ou que querem pagar com o que não è moeda válida de troca e que não sustenta uma casa ou familia...Outros sacaneiam os que lhes sustentam...Vai entender....

      Excluir
    2. Concordo com os dois. O blog do Divasca é excelente. Esse dos livreiros é um ataque de #classe média sofre.

      Excluir
  19. uhahuahuahahuahhahauaha

    A frase da música do Molejo matou a pau ;D

    ResponderExcluir
  20. Quando viramos cliente, um vírus incubado toma forma e nos torna uns sem noção. Tem que estar muito consciente pra isso não acontecer.

    ResponderExcluir
  21. Puxa... Quando adentrasse um desses indivíduos "sem conteúdo" na livraria, o livreiro bem que poderia oferecer um exemplar do meu livro, o Sexto Sexo . O incauto que recebesse ia continuar sem conteúdo, mas pelo menos eu iria ficar mais rica (ou não).
    PS: escritores também sofrem com o "faz um texto aí para a revista experimental que vamos lançar. Você vai ganhar muito com a divulgação do seu nome e do seu trabalho".

    ResponderExcluir
  22. Sou maquiadora. A cliente insiste em batom vermelho, olho preto esfumado e cílios postiços. Eu digo que não vai ficar bom, ela insiste e diz que "com ela é diferente". Daí eu preparo a pele, passo hidratante, primer, a puta que pariu e o diabo a quatro na cara dela até quase explodir num mix de elementos químicos numa fantástica make esconde-ruga, faço o que ela pediu e a véia vira e me fala: "Faz outra porque você me deixou com cara de rameira".
    Disse que iria cobrar novamente e ela quase virou uma atiradora de adagas voadoras.

    Se eu tivesse mais tempo criaria um blog também. Vocês não têm noção das coisas que uma maquiadora ouve e presencia.

    ResponderExcluir
  23. DI VASCA. Só pra avisar, não dá pra compartilhar links do seu BLOG no Facebook, ele barra e diz que seu blog tem alguma coisa do 4Shared e eles não publicam coisas do 4shared...

    brincadeira esse facebook...

    ResponderExcluir
  24. Ô Divasca, você bem que podia fazer um quadrinho da história da velhinha. Se a Hillé pagar, lógico.

    ResponderExcluir